Arquivo | Cidades RSS feed for this section

Histórias do Carnaval de Valinhos – 1990!

25 jan

Olá!

O ano? 1990! E o que tem demais nesse ano? Foi o ano com o maior número de agremiações disputando o Carnaval: 5!

Nesse ano tivemos o primeiro (e único) desfile da Escola de Samba Mocidade Independente da Zona Leste, que antes tinha desfilado como Bloco das Penosas!

Além da Mocidade, tivemos o Desfile do Canto da Vila (que defendia o título) (Se não me falha a memória, foi o último ano que o Pessoal do Bom Retiro desfilou com esse nome), Leão da Vila (que não vencia desde 1992 e se ganhasse levaria o troféu de posse transitória, descrito em outro texto), Cai Cai (que queria muito reprisar 1986) e Arco Íris, que voltava a desfilar após o título de 1987.

Não lembro de detalhes de todas as escolas, só lembro o Resultado final e o Enredo de Duas Escolas. A Mocidade veio falando da Bahia, contando a história dos pontos turísticos de Salvador, cantou Carmem Miranda, cantou o Elevador Lacerda, cantou o Mercado Modelo. Mas não foi suficiente para convencer os Jurados, acabou ficando em Quarto Lugar.

E lembro do Enredo da Escola de Samba Arco Íris, que com o Enredo “A Magia das Cores” conquistou o segundo titulo, contando o poder das cores na natureza, flores, frutos, e com a mensagem central de paz, pois todas as cores passando pelo prisma se recompõe no Branco da Paz.

Leão da Vila e Cai Cai ficaram empatados em Segundo Lugar. Se não me falha a memória o Leão da Vila veio falando sobre Monteiro Lobato. Não lembro exatamente em que ano isso aconteceu, se foi no título da Arco Íris, ou se foi no título da Canto da Vila que eles cantaram Monteiro Lobato.., enfim.

Resultado Final de 1990:

Arco Íris – Campeã

Cai Cai e Leão da Vila – Vice Campeões

Mocidade – Quarto Lugar

Canto da Vila – Quinto Lugar

DSC02380 DSC02381No Carnaval de 2011, o carro alegórico acima veio representando os títulos de 1987 e 1990

 

Histórias do Carnaval de Valinhos – 1991!

24 jan

Olá!

Resolvi postar algumas histórias sobre antigos Carnavais de Valinhos. Pena não ter fotos de todos, mas acho que só o fato de poder relembrar alguns momentos já conta demais.

Hoje eu sou ligado a Escola de Samba Arco Íris, mas já desfilei em várias outras agremiações da cidade.

Vou tentar lembrar um fato aqui que aconteceu em 1991!

Naquele ano apenas 2 Agremiações aceitaram desfilar: Leão da Vila e Águias da Avenida. O que mais chamava atenção é que estava em disputa o troféu de posse transitória, que ficaria definitivo com a Escola que se sagra-se tri campeã. E tanto o Leão, quanto o Aguais tinham 2 títulos. Ou seja, outra escolas que já haviam levantado aquele troféu ( Arco Íris e Unidos da Madrugada (2 vezes), Moinho Velho, Cai Cai e Canto da Vila (1x) ) não teriam mais a chance de ficar com aquele troféu.

Eu desfilei no Leão, não lembro exatamente o Enredo, só lembro que a Samba Enredo (que era do Samir), cantava:

“Coroa de lata, num manto remendado,

Lá vai o rei povo na festa do seu Reinado!”

O Enredo citava o Povo como o rei do Carnaval, o Rei da Folia. Em outro momento do Samba, cantava: “ Hoooojeee, eu vou estar de bem com a viiiiiidaaaaa! Serei o Reeiii da Aveniiiiidaaaaa!”

E quem comandava a Bateria era o Grande Mestre Carlinhos Madia. Naquele ano os ensaios ainda aconteciam na rua, ali na esquina contrária de onde era a açougue do meu tio Bento, perto da Padaria. Eu toca repinique, junto com o Alex Danin. O Juquinha (Filho do Saudoso Italiano) tocava Caixa, o Dudu ainda tocava Tamborim, junto com o Ratão e, se não me falha a memória, o Bruno (Que na época era Ratinho).

Minha família saiu no Águias, meu pai sempre gostou muito de desfilar com o pessoal do Bom Retiro.

Só que o julgamento do Desfile foi algo completamente AMADOR! Cada escola deveria ceder 1 Jurado, que julgaria as 2 escolas. Só que o jurado escolhido pelo Águias, repórter da TV Campinas, não apareceu. E quem julgou foi só o jurado do Leão. E o Leão foi campeão com 10 em todos os quesitos, contra 1 único 9 do Águias. Se foi justo? Pra mim foi, o Leão estava bonito. Para o pessoal do Águia não foi, de jeito algum. Principalmente para o quesito que tomou 9, que foi dado a uma grande amiga minha que eu não vou citar para não gerar desconforto. Ela vai ler, vai lembrar, hoje eu sei que ela não liga… mas na época ficou muito chateada, tanto que eu nunca mais a vi desfilando na Avenida.

E assim o Leão guardou o troféu de posso transitória na Vila Santana, berço Boêmio valinhense. Acho que não teria lugar melhor. Pra mim, o Leão da Vila é igual a Portela, das cores até a torcida, com uma história maravilhosa. Muitos dos grandes sambistas Valinhenses saíram de lá!

Parabéns Leão da Vila! Campeã do Carnaval Valinhense em 1991!

A Foto é do Carnaval de 2011! Mas a Escola é conhecida por Todos!

Parabéns Valinhos! Parabéns Desportistas Valinhenses!

1 jun

Olá!

Hoje Valinhos completa 118 anos! E eu queria falar sobre os principais Esportistas de Valinhos. Pensei em falar na Franciela, que acabou de participar do Mundial de Revezamento 4 x 100mts, na Bahamas. Mas aí lembrei que tenho falado muito dela (e ela merece né?)

Então pensei: Vou falar da Clélia! Afinal, uma mulher que foi quarto lugar no Mundial de Luta de Braço, que já foi Campeã Paulista a perder as contas, campeã Brasileira, merece ser lembrada, certo? Mas eu também estou sempre falando da Clélia.

Ai nomes de um passado não tão distante assim vieram na minha cabeça: Adriano Magliolli, um dos melhores nadadores que tivemos na cidade. Eduardo Nascimento, que venceu a Meia Maratona de New York e por muito tempo representou o Brasil no 5.000 e 10.000 metros.

Lembrei também do pessoal que aos olhos de alguns são diferentes, mas aos meus olhos são verdadeiros Super Atletas: Dedé Macedo, Rodrigo Popó e Alexandre Cremasco! Todos eles atletas que representam Valinhos a muito tempo, mesmo com todas as suas dificuldades e todo o preconceito que os Paratletas brasileiros enfrentam!

Ai viajei um pouco mais, pensei: Vou falar do Vôlei. E como pensar em Vôlei e não falar do grande Zequinha? Quem não se lembra do Zequinha, jogando pelo meio, nos Jogos Regionais de 1992, na inauguração do Ginásio Municipal de Valinhos. Aliás, o Zequinha joga até hoje. Um garoto! Mas se o ano é 1992, tenho de falar do handebol!

Mas Handebol? Ferrou… vou ficar aqui escrevendo nomes até amanhã! Então, para não ser injusto, vou citar os Grandes Goleiros que Valinhos já teve: Chico, Pablo, Douglas, Raul e Thiago! Enjoei de perder gol cara a cara nesses 5! Vocês sempre foram demais!

Falando em perder gol, e os Futebolistas? Vishi, aí a lista é grande hein! Nange, que jogou em Portugal. Zé Lindo, que jogou no Japão, Santos e São Paulo! Écio Capovilla, que jogou no Vasco e talvez tenha sido o profissional de maior sucesso!

Mas inesquecível mesmo é Toninho Evangelista. Lembro até hoje do primeiro Sábado que eu fui no clube do Rigesa, ano de 1981, participar do Rachão lá da molecada. E como tinha criança pra jogar bola lá. Os treinos começavam 8 da manhã, terminavam perto do meio dia.

Foi no clube do Rigesa que eu aprendi a ler Jornal. Porque todo mundo queria ver os resultados dos jogos da semana anterior, então eles pegavam o Semanário aos Sábados pela manhã e eu achava muito massa ler o jornal também! Voltando pro Toninho, desconheço alguém mais respeitado do que ele na cidade. Tanto é verdade que o colunista e ex apresentador do Bate-Bola (ESPN Brasil) Flavio Gomes, recentemente citou que Toninho seria a escolha dele para ser técnico da Seleção Brasileira de Futebol.

E com o Toninho a maioria da molecada aprendia também a ser cidadão, porque ele era simples, sereno e cobrava de todos uma postura na vida. Acho que de todos os Desportistas que eu pensei, nenhum deles merece mais o Parabéns hoje do que o Toninho! Ah, pra quem não sabe, antes de Treinador, o Toninho foi arqueiro da Ferroviária, de Araraquara!

Fica aqui o meu parabéns para todos os desportistas Valinhenses. Você que já se aposentou, você que ta começando! Você que já foi muito citado, você que é atleta anônimo! PARABÉNS!

Toninho Evangelista, um dos maiores Desportistas que Valinhos teve a Honra de apresentar ao Mundo!

Valinhenses Curtem o Carnaval no Anhembi!

7 mar

Com a ausência dos desfiles das Escolas de Samba de Valinhos, muitas pessoas apaixonadas pelo Carnaval, acabaram buscando outras opções para não deixar a tradição acabar. E uma das facilidades é Desfilar nas Escolas de Samba de São Paulo.

Durante esses meses, não apenas o Desfile de Carnaval fez falta, mas também a cultura dos Ensaios da Bateria e uma das opções encontradas pelo Valinhense foi ir ver os Ensaios nas quadras Paulistas e Cariocas.

Andréa Tonon, que sempre desfilou nas escolas da Cidade ( Arco Íris, Águias da Avenida, Canto da Vila, Império da Vila, Mocidade Independente da Zona Leste, Cai-Cai, Pérola Negra e Moinho Velho ), organizou 3 visitas a quadra da Gaviões da Fiel. Na média de suas 3 visitas, foram pelo menos 30 Valinhenses, em Vans, sempre partindo do Estacionamento do CAUE: “Entender que o samba fala mais alto que o futebol, estar no meio da quadra da Gaviões e apenas escutar o samba. A energia que vem é incrível, a mistura do futebol com o samba não me deixa ter palavras! Nesse instante me transporto pra um lugar que muitos entendem e muitos não entendem! Sou outra pessoa, lá a tristeza vai embora e só coisa boa passa na minha cabeça! E o som de cada instrumento fica a cada minuto mais intenso e mais forte.! É a batida do coração no ritmo da batida da bateria! O corpo vibra, o pé samba, a boca canta e o olhar é de satisfação! Se você ama carnaval como eu, entendeu tudo que eu falei! Carnaval é lugar de gente feliz!”

Déa, Gilson, Clara, Frank, Amanda, Graciana, Clélia e Zé Mario. Sempre presentes na quadra da Gaviões!

Déa, Gilson, Clara, Frank, Amanda, Graciana, Clélia e Zé Mario. Sempre presentes na quadra da Gaviões!

Já Gabrielle Cintra, apostou no seu amor ao Palmeiras e foi entre os 3.000 componentes que fizeram de tudo para a Agremiação voltar a Elite do Carnaval Paulistana. Após a apuração, Gabrielle comentou o seguinte:

“Não há palavras pra esse momento… Depois de muito trabalho, estamos de volta à elite do Carnaval paulista e quer queiram, quer não, em 2015 é PALMEIRAS na avenida! Voltamos e voltamos com tudo, 2015 é nosso! Obrigada a todos que parabenizaram, que desfilaram, que assistiram, que torceram e que direta ou indiretamente estiveram conosco… A melhor comunidade, a mais querida! “Das cinzas se renasce pra vitória, na adversidade se aprende a crescer. São fatos que descrevem nossa história, o verde é a razão do meu viver”

Gabrielle Cintra, pela primeira vez no Anhembi, desfilou no Grupo de Acesso, pela Mancha Verde!

O pessoal que comanda a Moinho Velho, atual Campeã do Carnaval Valinhense, mais uma vez procurou a Nenê de Vila Matilde como sua morada. Apaixonado por Carnaval, Cleverson Benini, o Preto, nos confidenciou que: “por ser um amante do carnaval este foi o quarto ano de destaque central do Segundo carro em SP, Agora não tem como parar…. A comunidade da Nenê é especial d+ e mesmo eu sendo do interior, quando chegamos na quadra, somos recebidos com muito carinho, tanto eu como o Francisco e o André. E neste ano ainda desfilamos em Bragança e Paulínia.”

Mas o Preto dessa vez levou a nossa Diretora da Rede Municipal, a Rosi Bertani, que teve sua primeira experiência na Avenida: “A emoção de pisar na passarela do Samba no Anhembi é enorme… para quem é apaixonado por carnaval não tem como mensurar!!! É sempre um aprendizado e o grande sonho de poder ter pertinho de onde estamos (Valinhos/Vinhedo e região) boa parte dessa fantástica indústria de sonhos e fantasias, traduzidas em forma de alegorias, harmonia, vibração, alegrias e samba (esse de forma muito especial). Ponto negativo, é uma perda para nós, que pelo segundo ano consecutivo deixamos de construir e dar vida à esse sonho.

Destaque da Nenê de Vila Matilde, Rosi e Cleverson (Preto)

Já o pessoal da Escola de Samba Arco Íris, resolveu desfilar esse ano na Império da Casa Verde e a experiência foi única!

Andréa Franklin disse que “Estar na avenida, numa escola que você conheceu há 2 meses e cantar por ela é uma sensação estranha! Ao mesmo tempo a hora que vi as luzes acesas e entrei no Sambódromo, queria me divertir e aproveitar aquele momento ao máximo! É emocionante, é contagiante! O coração dispara sem saber se é medo ou felicidade! É como entrar numa montanha russa e depois que se está lá em cima não tem mais como desistir é curtir e aproveitar muito! Eu adorei e acho que todos que gostam de carnaval deveriam experimentar!

Marina Jesuino, que sempre viveu dentro da Arco Íris também comentou seu sentimento: “É difícil descrever o que senti estando no sambódromo num sábado de carnaval, sensação e sentimentos diversos
Calafrio, frio na barriga, tremedeira, palpitações cardíacas, alegria, tristeza! Eu particularmente fui criada dentro de uma escola de samba onde não tem nem a metade dos componentes e ainda assim sempre me senti realizada e com as mesmas sensações.
Sábado, quando a escola começou a andar e eu ouvi a bateria, toda a garra e pressão da galera da harmonia, a alegria de cada componente em estar com a sua escola do coração na avenida, me senti da comunidade onde tudo começa no inicio do ano com sonhos, desejos e muita mas muita vontade de colocar a escola na avenida e que essa seja a melhor.
O dia de ontem, pra mim, foi como realizar um sonho que até então eu achava impossível, do tipo “nossa desfilar em São Paulo!!!” que ontem consegui realizar me senti muito mas muito especial claro com dores nos pés nas costas rs mas dai para e vejo que tudo isso valeu muito a pena quando penso que estava no SAMBODROMO em pleno Sábado de carnaval.”

Filha do Presidente da Arco Íris, Cristiane Jesuíno que cresceu no Mundo do Samba, resumiu seu sentimento: “Foi uma felicidade, uma maneira de extravasar a frustração de não ter tido carnaval na cidade, mas nem se compara a emoção e o nervosismo de desfilar para a sua escola quando você trabalha meses para colocar a escola na avenida!!!”

Cristiane, Marina e Andréa. As amigas tiveram sua primeira experiência no Anhembi!

Cristiane, Marina e Andréa. As amigas tiveram sua primeira experiência no Anhembi!

Já os amigos Carlota, Zé Mario e Thiago, componentes da Diretoria da Arco Íris e membros do grupo que realiza o Samba do Xereré, tiveram mais dificuldade em definir o que sentiram: “Não sou bom com palavras… Se eu começar a lembrar eu vou chorar e não vou conseguir terminar meu depoimento”, disse Thiago. Já Carlota disse ter sido algo “único, um sentimento de impacto. Quando você pisa no Anhembi e vê o Sambódromo lotado, com o pessoal cantando o nosso Samba, é algo pra guardar pra sempre! Por fim, Zé Mario simplesmente citou um: “Tonon, foi tudo de bom! To feliz pra caramba!”

Thiago e Carlota, amigos inseparáveis, curtiram demais ter desfilado!

Zé Mario completa o Trio!

Elaine Tonon, que mais fica no apoio do marido e dos filhos do que realmente se envolve com o Carnaval, comentou: “Todos me conhecem como a esposa de quem vive para o carnaval, Adriano Tonon. Sempre gostei muito de samba e este ano, mais do que nunca, resolvi participar da maioria dos eventos que pude. Estar no Anhembi foi inexplicável, uma sensação de diferente liberdade, onde deixei sem problemas minha timidez de lado e me senti feliz da vida. Este momento me fez lembrar o trecho desta música:
Samba, eterno delírio do compositor
Que nasce da alma, sem pele, sem cor
Com simplicidade, não sendo vulgar
Fazendo da nossa alegria, seu habitat natural
O samba floresce do fundo do nosso quintal
Este samba é pra você
Que vive a falar, a criticar
Querendo esnobar, querendo acabar
Com a nossa cultura popular
É bonito de se ver
O samba correr, pro lado de lá
Fronteira não há, pra nos impedir
Você não samba mas tem que aplaudir!
Matheus Tonon, outro que esteve presente no Anhembi, foi curto e grosso: “Pensei se iria valer a pena deixar meu irmão e meus amigos aqui para ir desfilar. Pois bem, Valeu e muito. Experiência sem igual, eu sou muito feliz por tudo isso! Eu não tinha noção da dimensão do que eu estava indo fazer até ver o tamanho da arquibancada de São Paulo e a altura e qualidade de acabamento dos Carros Alegóricos. Tudo muito espetacular!”
Por fim, vem a minha experiência de ter desfilado: É um misto de alegria e frustração. Alegria de estar junto com amigos do meu coração e minha família. Alegria por estar fazendo a Alegria de milhares de pessoas no Anhembi e estar levando meu país no enfoque mundial. E frustração porque eu não precisava ir 100km para fazer tudo isso. Eu poderia fazer daqui! Ou melhor ainda, eu poderia fazer aqui e lá. Triste e sem nenhuma esperança de que os desfiles voltem a acontecer na cidade. Eu só vou acreditar nisso quando estiver, novamente, pisando na Passarela do Samba!

Eu, Matheus e Elaine! Brilho nos olhos da família valeu demais!

Que saudades da Banda Bandalheira!

22 fev

O ano é 1995 e alguns amigos, apaixonados pelo Carnaval e também pelo country club, resolveram criar o grito de Carnaval Valinhense, antes do tradicional desfile das escolas de Samba de Valinhos e do concorrido baile de carnaval do Country!
Nasceu então a Banda Bandalheira! No ano que não teve disputa de escola de Samba Campeã, que o Cai Cai homenageava São Sebastião e na praça Washington Luís, 10 da manhã, estacionava o Trio Elétrico da Schincariol, com Chopp direto da Serpentina.
A praça foi lotando, o povo chegando, jovens, adultos, crianças e idosos foram se aglomerando e as músicas foram tomando conta de todos.
A Banda Bandalheira tinha seu próprio samba:

Eu vou brincar,
Te amar
A visa inteira!

Vou me embalar,
Com a Banda bandalheira.

Eu vou o o ou,
Eu vou no pique da canção!
Vou conquistar seu coração!
Ninguém segura essa minha emoção!

Meu amor!
Doce encanto do meu Carnaval!
É com a Banda Bandalheira que eu vou!
Te dar um beijo no maior astral!

E assim, saímos pelas ruas da cidade, passando em frente A Igreja Matriz, Rodoviária e fomos rumo ao Parque Municipal. Lá o caminhão de bombeiros esperava os foliões para um banho.

E assim foi meu sábado. Tenho certeza que fui embora pra casa as quatro e quinze. Certo Drianinho?

Até 2009 tivemos a Banda Bandalheira pelas ruas da cidade. Não me lembro quando foi o último ano, mas morro de saudades (Carlos Marighetto me avisa: 2011, Tonon). Só espero que, assim como a banda bandalheira se foi, que o mesmo não aconteça com o resto do Carnaval Valinhense. A vida precisa de momentos assim e não podemos ser céticos ao ponto de acabar com a maior festa da cultura popular!

Banda Bandalheira, por 15 anos fazendo alegria pela cidade!

Complementando a matéria sobre o Carnaval de Valinhos

2 out

Pessoal, quero deixar claro que o que escrevo agora é simplesmente uma visão minha, pessoa física. Nada em nome de uma ou várias Escolas de Samba.

Participei de todas as conversas que tivemos sobre Carnaval esse ano e gostaria de complementar a matéria sobre o ocorrido essa semana, quanto ao texto veiculado pelo Departamento de Marketing da Prefeitura de Valinhos onde as Escolas de Samba Rejeitaram os 400 mil oferecidos pela prefeitura.

Em primeiro lugar não são R$ 400 mil. São Mais! R$ 400 mil é o valor destinado para as 5 escolas. Some a isso toda a infraestrutura no local, esse valor passaria de R$ 600 mil!

Mas na verdade cada Agremiação ficaria com R$ 80 mil sendo que o gasto planejado para um desfile do tamanho do regulamento chegaria em 120, 130 mil reais.

Todo ano as Escolas gastam mais do que a prefeitura fornece. Fazemos um trabalho durante o ano para arrecadar fundos. Feijoadas, Bailes, Bingos, Sambas de Roda, Rifas. Tudo isso é organizado pelas escolas, na comunidades. O problema é que até o final de Agosto a Prefeitura não tinha sinalizado em nada com o Desfile de 2014. E com isso, fica difícil para as Agremiações poderem trabalhar verba e depois não ter um destino para a mesma. Complicado, afinal é dinheiro! E dinheiro sempre é uma questão complicada.

Como passou demais o tempo, já estamos pensando nas festas de final de ano, as agremiações praticamente não teriam tempo para organizar eventos e ficariam com um saldo negativo junto ao banco, correndo risco de ficar inadimplente e não poder participar das demais atividades nos anos seguintes.

Pensando nisso, quase todos os responsáveis acharam correto abrir mão do Desfile em 2014, evitando 2 possíveis situações:

A) Ficar inadimplente e devendo para seus fornecedores;
B) Fazer um Carnaval de baixa qualidade e frustrar as expectativas da população Valinhense que acompanha os desfiles.

Então as Agremiações alinharam com a Secretaria de Cultura já começar a trabalhar em Fevereiro de 2014 para montar o Carnaval de 2015. Assim teriam tempo de conseguir complementar seus gastos, inclusive indo buscar recursos estaduais e federais + Organização de eventos.

Ao contrário do que muitos pensam, foi por pensar na população em geral que as Agremiações decidiram não desfilar. Seria muito chato se todos pegassem o total de R$ 400 mil e fizessem um desfile simples, de baixo nível. Aí sim seria menosprezar a população Valinhense.

Quanto a essa verba ser aproveitada na Saúde, na Educação… não é bem assim. Existe um balanço de contas e uma obrigatoriedade que o Prefeito distribua os Recursos Financeiros entre todas as áreas. evitando que se invista demais aqui e nada ali. Se no final do ano, após cumprir o cronograma sobrar dinheiro em caixa, uma Secretaria pode repassar essa verba para outra que esteja necessitando.

Agora, pra fechar! Quando uma escola de Samba desce a Avenida, ali tem o trabalho de 1 ano todo feito para agradar as cerca de 30 mil pessoas que costumam ir nos desfiles. Prestamos conta de todo o dinheiro gasto e trabalhamos com o coração para fazer uma festa incrível, cada ano melhor. Nosso Carnaval é família, é lindo. E vocês não fazem ideia da alegria que temos quando aquela pessoa simples, tímida, que trabalha muito com coisas simples, quase não teve instrução, veste uma fantasia e sai desfilando, cantando o Hino da Escola. Essa pessoa, naquele momento, se sente a Estrela mais brilhante do céu! Ali não tem aluguel, dor nas costas, falta de comida. Aquele momento é único, um momento que ela espera o ano inteiro para viver. E vai me dizer que sonhar em ser feliz não é ajudar a ter um sentido na vida, onde nossos problemas de saúde acabam sendo minimizados?

Obrigado pela leitura e, se vocês tiverem qualquer dúvida, podem me procurar. Estarei aberto a tirar qualquer dúvida.

Valeu!

029

 

Carnaval de Rua de Valinhos: Entenda como funciona!

22 set

Essa semana uma amiga me perguntou se teríamos desfile ano que vem (2014) e eu disse que tudo seria decidido na Terça-feira (24/09). Em seguida ela me disse:
“- Se eu fosse Prefeita, daria no máximo R$ 10 mil reais para cada escola e olha lá. Pra mim muita gente mete a mão nesse dinheiro.”
Eu concordo com ela na parte de duvidar em como o dinheiro é gasto, até porque fica tudo muito claro para os membros do Carnaval, mas essa informação nunca chega até a população. E é dinheiro público, então achei legal vir aqui explicar.

As escolas de Samba de Valinhos são empresas, todas com Estatuto, CNPJ e diretoria eleita. Sem isso, uma escola não pode participar do Desfile na cidade.
Até 2012, a prefeitura “contratava” essas escolas para fazer o desfile na cidade. Ela propunha um valor (em 2012 foi de R$ 80 mil para cada escola) e as Escolas montavam um desfile, com algumas regras:
– 4 Carros alegóricos;
– 20 Bahianas;
– 250 Integrantes fantasiados – (Apoio, Diretoria, não contam);
– Prestação de conta, com Nota Fiscal emitida em nome / CNPJ da escola.

Entre outras regras, que são definidas conforme regulamento. Outra regra é que as Escolas não podem “aparecer” do nada para desfilar. Se algum bairro / associação quiser montar uma Agremiação, primeiro ela precisa desfilar como Bloco por 2 anos, para em seguida poder “subir” para a Escola. Isso evita que aproveitadores apareçam, interessados apenas em dinheiro.
Caso o valor liberado pela prefeitura não seja gasto, a agremiação fica obrigada a devolver a diferença. Caso algum dos itens não sejam cumpridos, a Agremiação além de perder pontos, toma uma multa de X% do valor da verba, sendo obrigada a devolver um valor.
Da parte das escolas, algumas optam por comprar fantasias em São Paulo, de desfiles organizados pelas Escolas lá. Eu não gosto disso, mas respeito. Não gosto porque o dinheiro gasto acaba ficando em outra cidade, não retorna para nossas costureiras. E não gosto porque limita a participação de populares ao tamanho das roupas compradas.
Na escola que eu desfilo, as roupas são sempre costuradas sob medida, propiciando um desfile alegre e gostoso para nossos integrantes e garantindo trabalho as Costureiras de nossa cidade.
Aliás, gastamos mais de R$ 100 mil no último desfile, ou seja, precisamos batalhar cerca de 40% a mais para pagar um desfile. Isso porque não pagamos nenhum centavo para: Mestre Sala / Porta Bandeira, Roupas de Destaque, mestre de bateria, coordenadores de alas, pessoas que trabalham nos carros alegóricos, lanches! Se tivessemos de pagar por tudo isso, com certeza o desfile teria um custo próximo de R$ 150 mil!

Mas uma coisa que as pessoas confundem muito é que eles vivem falando: Vai dar dinheiro para o Carnaval e a Saúde está cheia de problemas. Ok, eu concordo. Mas vale lembrar que o dinheiro da Saúde é um. O Dinheiro da Cultura é outra. Por lei, a cidade tem de gastar parte do que arrecada com cultura, isso é balanceamento das contas. Uma cidade não vive apenas de Saúde e Educação. Portanto, quando a prefeitura organiza um desfile, ela gasta parte de sua arrecadação com a pasta de cultura com o Carnaval. E como em cada noite de Carnaval temos cerca de 1000 pessoas desfilando e mais 15 mil pessoas assistindo, podemos dizer que o Carnaval de rua de Valinhos movimenta cerca de 32 mil pessoas. Se você dividir os R$ 550 mil gastos em 2012 por 27,5 mil pessoas, a conta da exatos R$ 20,00 para cada um… E aí? Diminuiu o valor?
Uma coisa é verdade, as escolas precisam dar uma contrapartida para a população durante o ano todo. Ao longo do ano vemos muito pouco organizado pela Escolas de Samba na cidade. Nenhum evento, nenhuma programação Esportiva, nenhuma atividade cultural / social. E estamos conversando com o atual Secretario de Cultura para ver se conseguimos montar um calendário com esses eventos e também para conseguir arrecadar fundos durante o ano, dependendo cada vez menos de dinheiro público.
Bom, tentei passar um pouco de como funciona e o que acontece. Talvez isso não mude sua opinião, mas deixe você mais informado!
Nessa semana estaremos conversando sobre ter ou não desfile em 2014 e muita gente vai falar sobre o assunto. Se não tiver desfile, vão falar que as escolas só pensam em dinheiro. Se tiver, muitos vão falar que o valor é um absurdo. Todos tem direito de falar sim o que pensam, mas como secretario de uma agremiação, tenho a obrigação de vir aqui e explicar a todos como funcionam. Valeu!

%d blogueiros gostam disto: